Degustadores Sem Fronteiras | O SUDOESTE FRANCÊS MOSTRA SEUS VINHOS
3335
post-template-default,single,single-post,postid-3335,single-format-standard,ajax_updown_fade,page_not_loaded,

BLOG

O SUDOESTE FRANCÊS MOSTRA SEUS VINHOS

16 ago 2016, Posted by degustadoresfronte in Notícias e Artigos

Uma longa faixa de terra coberta por vinhedos se estende desde Marselha , no sul da França, até a fronteira da Catalunha, no norte da Espanha. Ela engloba duas regiões administrativamente distintas: o Languedoc, sua porção oriental, e o Roussillon, junto à fronteira espanhola. Esta vasta região, que encanta por sua rude beleza, está normalmente banhada pelo sol, sendo por isso também conhecida como Midi (Meio dia), e tem uma longa tradição vinícola.

Por volta do século VI a.C., os gregos fundaram, a leste da região, a cidade de Massalia, a atual Marselha, trazendo consigo as primeiras mudas de videira, que logo plantaram nas terras ao redor da desembocadura do rio Ródano (Rhône). Vieram em seguida os romanos, que fundaram Narbo, hoje Narbonne, que se tornou um importante porto mercantil com muitos vinhedos plantados ao seu redor.

Abreviando um pouco a história, o Languedoc-Roussillon chega aos nossos dias como o maior vinhedo da França, produzindo cerca de 38% do vinho do país. Durante muito tempo apenas seus Vins Doux Naturels, seus vinhos de sobremesa, tinham prestígio por sua qualidade, sendo o restante da produção de escassa qualidade, na sua maioria da categoria Vin de Table. Esse cenário começou a mudar a partir dos anos 1970, e hoje podemos encontrar na região, que é também conhecida como a ”Califórnia da França”, vários bons produtores de vinhos secos, tintos e brancos, de muito boa qualidade.

Esses vinhos foram apresentados a jornalistas e compradores de todo o mundo no “Forum International des Vins du Sud de France”, que aconteceu entre os dias 27 e 31 de janeiro na encantadora cidade de Montpellier, ao qual tivemos oportunidade de comparecer. Muito bem organizada, a feira reuniu cerca de 263 produtores que apresentaram 1300 vinhos, que foram degustados por mais de 160 compradores de 30 países das mais variadas regiões do mundo.

“Esses 1300 produtos foram mostrados por nosso site na Internet por dois meses “, afirma Robert Amalric, responsável pelo setor de exportação da mostra. “Uma vez chegados ao local da feira, os compradores puderam verificar os produtos selecionados por eles pela Internet e conferir suas expectativas. Feito isso, os compradores puderam se encontrar com os produtores escolhidos. Foi realmente muito eficiente!”.

Os resultados, tanto em termos promocionais quanto de venda, foram bastantes positivos e Fórum deverá se repetir a cada dois anos, uma vez que ele ocorre entre cada edição da já consagrada VINISUD, que é também uma feira bienal.

Paralelamente a essa mostra, na vizinha cidade de Perpignan, no Roussillon, ocorreu o “2eme Rencontres Mediterranéennes du Muscat”, no Palais de Convention dessa pequena cidade que é a capital da Catalunha francesa. De menor porte, mas também muito bem instalada, reuniu 56 produtores do Roussillon, e também do Languedoc, da Provence, da Córsega e da Grécia. Evidentemente centrada nos vinhos doces de sobremesa, os VDN (Vins Doux Naturéls) que fizeram a fama dessas regiões, nela o comprador pode degustar bons vinhos das Appelations Muscat de Rivesaltes, Frontignan Beaumes de Venise, Lunel , Mireval, Saint-Jean-de-Minervois, Cap Corse e Samos Grand Cru.

Como produtores que se destacaram nessa mostra podemos citar o Domaine Piquemal , com seu Muscat de Rivesaltes AOC “Coup de Foudre” 1999 e seu “sartriano” “L’Âge de Raison” Rivesaltes Ambré AOC Rivesaltes 2000, elaborado à base de Grenache Gris. Muito bons também os vinhos do Domaine des Blancs (Cotes du Roussillon), tanto os secos, como o tinto Comi de la Berne Rouge (AOC Côtes du Roussillon) quanto seu Maury AOC Vieilles Vignes, 100% Grenache Noir, um vinho de sobremesa tinto com as mesmas características do Banyuls, muito rico e interessante.

Da mostra de Montpellier, podemos citar o excelente produtor Sylvain Fadat – com quem conversamos demoradamente e pudemos visitar os vinhedos e a cantina – do Domaine d ‘Aupilhac, um campeão da AOC Côtes de Montpeyroux. Também muito bons os vinhos da La Forge Estate, aliando boa qualidade a bons preços. Os vinhos do Domaine Granoupiac, do simpático casal Claude e Marie Claude Flavard não estavam presentes na mostra, mas pudemos degustar seu vinhos em sua cave de Saint-André de Sangonis (Montpeiroux). Os vinhos confirmaram o merecido prestígio da crítica, realmente de muito boa qualidade.

AGUINALDO ZÁCKIA ALBERT

Post a comment